Skip to content

Hacking is an attitude

November 6, 2011

Está acontecendo em Amsterdam a exposição The Art of Hacking no Instituto de Artes e Mídias.

Os corredores do prédio estão cheios de retro projetores com explicações sobre as obras que ficam montadas nas salas. Ainda no corredor tem duas televisões com video cassetes e headfones que ficam passando em looping um documentário cada uma: Hippies from Hell (torrent) e WikiRebels (torrent).

As instalações são todas obras criadas por hackers que exploram sistemas de diversas maneiras, mas a maioria deles tem uma mensagem política em sua obra mostrando falhas nos sistemas legais, ou apontando questões de valores culturais ou mesmo forçando grandes companias a ter que expor suas reais intensões ao público.

Na primeira sala de exposição há vários mapas de redes colados pelas paredes com nomes de pessoas. Eles são mapas mostrando como é possível criar uma nova identidade inglesa a partir de vários sistemas diferentes e agindo legalmente. O artista explora uma brecha no sistema legal inglês que permite a um indivíduo ter várias identidades e ele cria identidades completas, com direito a cartão de crédito, seguro saúde, conta telefônica e vende por 200 euros para quem quiser. Os mapas mostram os caminhos possíveis para se construir um novo cidadão inglês a partir de um numero telefônico, ou um endereço, ou uma conta no banco etc. No centro da sala tem um vidro com os diversos objetos que o artista diz que representam a identidade criada.

Na segunda sala há uma série de obras, as que mais me chamaram atenção foi a rede social do supermercado, em que é criada uma rede a partir das informações obtidas com o cartão de desconto sobre os hábitos de consumo da pessoa, o medidor de resultados de busca que compara em tempo real se existem mais resultados para a palavra “paris” associada a “frança” ou a “hilton” e uma terceira em que os hackers encheram um pendrive com dados copiados da lixeira de vários computadores.

Além disso tem outras salas, uma delas apresentando o caso dos “Yes Man” que criaram um site falso com o nome da empresa Dow Chemichal dizendo que iriam indenizar as vítimas das ações da empresa na Índia e acabaram dando uma entrevista para a CNN em nome da empresa confirmando todas essas informações. Isso resultou nas ações da empresa no mercado perdendo seu valor e na Dow sendo forçada a ir na mídia para desmentir que não iria fazer nada em relação as mortes e doenças que havia causado.

No dia da abertura da exposição ainda tiveram duas perfomances, uma de poesia no IRQ e uma de dança. Eu só fui da de poesia, mas não consegui entender o que acontecia. Depois, conversando com o pessoal entendi que a poesia era feita junto com programação, mas não sei exatamente como.

Essa foi minha impressão da exposição. As obras são maneiras, propõe questões interessantes para serem discutidas e de uma forma diferente, trollar a CNN e fazer a Dow ter que admitir que não vai fazer nada em relação as consequencias do vazamento de químicos que eles causaram é bem maneiro. Houveram críticas sobre essa ação falando que eles deram falsas esperamças para as pessoas atingidas pela tragédia, mas em entrevistas no local as vítimas na verdade apoiaram a atitude deles porque chamou bastante atenção para a causa e deu grande visibilidade, além de forçar a compania a assumir a culpa publicamente.

Advertisements

From → eventos

Leave a Comment

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: